Tocantins aparece em quarto lugar no ranking da Secretaria do Tesouro Nacional em consistência de informações contábeis e fiscais

Em matéria divulgada pela versão impressa do Jornal Valor Econômico nesta terça-feira, 22, o Tocantins aparece como um dos quatro estados brasileiros que possui mais consistência de informações contábeis e fiscais do país, atrás apenas de Sergipe, Espírito Santo e Rondônia e empatado com Pernambuco.

“De acordo com os dados apresentados, a projeção é que até o final do ano o equilíbrio fiscal chegue a R$ 935 milhões”, explicou o secretário de Estado da Fazenda e Planejamento, Sandro Henrique Armando.

A avaliação é o resultado da primeira classificação elaborada pelo Tesouro Nacional que mensura a qualidade das prestações das contas públicas dos estados brasileiros, apontando acertos e inconsistências nos documentos fornecidos ao Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi).

Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o levantamento faz parte de um amplo programa para harmonizar e melhorar a qualidade das informações apresentadas pelo Estado. Nessa primeira análise, foi verificada a igualdade de valores entre diferentes relatórios. Foram consideradas três dimensões. A primeira a contábil. A segunda, a fiscal. Na terceira dimensão foram comparados dados contábeis e fiscais. Os dados se referem a 2018 e foram retirados do Siconfi.

De acordo com a STN, a média dos estados brasileiros foi de 150 no ranking de Qualidade de Informações Contábeis e Fiscais, enquanto a nota do Tocantins foi de 167,37. “Esta classificação é o reflexo da dedicação e responsabilidade dos profissionais que trabalham a Contabilidade do Estado em cumprimento das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao Setor Público”, observou o superintendente de Contabilidade Geral, Maurício Parizotto Lourenço.

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse, destacou que sua gestão tem um compromisso com a transparência e o equilíbrio das contas públicas. “Nosso trabalho é voltado para a melhora contínua dos mecanismos de transparência e da legalidade da coisa pública, ao mesmo tempo em que estamos trabalhando para equilibrar a saúde financeira do Governo, promovendo o desenvolvimento do Estado e a consequente melhora de vida dos tocantinenses”, afirmou.

Equilíbrio Fiscal

O Governo do Tocantins tem empreendido um amplo esforço desde o início do ano para o ajuste das contas públicas do Estado. Houve redução de custeio com gastos que incluem materiais de expediente, combustíveis, aluguéis de veículos e prédios, água, luz, telefone e diárias; além de redução do número de cargos em comissão e funções de confiança.

Aliado a essa estratégia, o Governo também desenvolveu ações importantes na área da Fazenda Pública que incluem a revisão de concessões de benefícios fiscais e aumento da fiscalização para evitar a sonegação de imposto.

Os resultados começaram a aparecer com a melhora das contas públicas e atingiu seu pico no último dia 16 de agosto, quando o Governador Mauro Carlesse anunciou o enquadramento do Tocantins dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Segundo o Relatório Geral Fiscal do segundo quadrimestre de 2019, o índice ficou em 47,67%, abaixo do limite legal de 49% da receita líquida.

Na ocasião do anúncio, o Governador destacou as dificuldades de se chegar a esses números, visto que foi necessário cortar despesas e promover redução de pessoal, justamente em período eleitoral, mas que a população entendeu e os resultados estão aparecendo. “Agora, estamos prontos para promover as ações para melhorar a vida do povo. Precisamos de crédito para iniciar e terminar obras inacabadas e é isso que vamos fazer”.

Já o secretário de Estado da Fazenda e Planejamento, Sandro Henrique Armando, explicou, durante o anúncio, que houve um crescimento de 8,89% dos recursos do Tesouro, que equivale a R$ 320 milhões de janeiro a agosto de 2019, comparado com o mesmo período do ano passado. Os dados mostram também que as despesas de custeio tiveram uma redução de 15%, equivalente a R$ 113,3 milhões e com pessoal um montante de R$ 192 milhões no mesmo período, o que proporcionou um equilíbrio fiscal de R$ 625 milhões. “De acordo com os dados apresentados, a projeção é que até o final do ano o equilíbrio fiscal chegue a R$ 935 milhões”.

O secretário Sandro Henrique também projetou que, a partir do próximo ano, os resultados serão ainda mais expressivos. “É isso que estamos fazendo e a meta não é simplesmente o enquadramento do Estado. A meta é enquadrar o Tocantins para que ele possa trabalhar dentro dos limites legais, para que tenha condições de investir em políticas públicas para o cidadão que mais precisa. Esse é o grande objetivo do Governo Carlesse e a partir daí o Estado vai atrair empresas e crescer de forma sólida”.

(Com informações do Jornal Valor Econômico – Colaborou: Arlete Carvalho e Jarbas Coutinho)

Anúncios

portalaraguaiacom

Notícias sobre Ananás e toda sua região do Bico do Papagaio

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: