Imprimir esta página

Em Colméia, homem vai à Delegacia registrar boletim de ocorrência e acaba preso por violência doméstica
Destaque

16 Outubro 2020
Crédito - Foto 45ª DP COLMEIA

Um indivíduo de 39 anos de idade foi preso pela Polícia Civil na manhã desta sexta-feira, 16, em Colméia, no centro-norte do Estado. Ocorre que o homem se apresentou na 45ª Delegacia de Polícia Civil daquele município na condição de vítima, uma vez que ele alegava que sua ex-esposa o estaria impedindo de ter convivência com os filhos que o casal tem em comum.

Até então parecia uma situação rotineira e que passou a ser atendida pelos policiais civis da 45ª DP. No entanto, seguindo o procedimento padrão da Polícia Civil que é apurar toda e qualquer ocorrência nos mínimos detalhes, bem como as pessoas nela envolvida, os agentes da Unidade Policial, após levantar a ficha do indivíduo, descobriram que, na verdade, ele era considerado um foragido da Justiça. Em seu desfavor havia um mandado de prisão em aberto pela prática do crime de violência doméstica praticada, no âmbito da lei Maria da Penha, no ano de 2019, justamente contra sua ex-esposa, contra a qual o homem queria representar criminalmente.

Desse modo, o homem passou da condição de vítima, a autor, sendo que os policiais civis deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva, expedido contra ele pela Comarca de Colméia. Após a realização das providências legais cabíveis, o indivíduo foi recolhido à carceragem da Cadeia Pública Local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Segundo o delegado-chefe da 45ª DP, Roberto Assis, a ação que resultou na prisão do suspeito é fruto do trabalho policial realizado criteriosamente no sentido de esclarecer e apurar todas as circunstâncias que envolvem um simples registro de ocorrência, onde no caso, em tela, a suposta vítima, era na verdade o autor, tendo, inclusive, em seu desfavor um mandado de prisão em aberto.

“Toda situação que chega até a Delegacia é devidamente apurada e uma eventual vítima pode acabar sendo presa se, porventura, seja um foragido da Justiça, como foi o caso de hoje. “Agora, o homem preso ficará à disposição da Justiça conforme determina a lei”, frisou a autoridade policial.